Novidades

Por: comKids (Redator)

O artista africano vai abordar a redescoberta do corpo como instrumento sensível da palavra e de toda a comunicação no curso que irá ministrar no Centro Cultural b_arco.

“Vamos descrever a estrutura corporal da linguagem e da fala, chamada pelos griots de ‘pilares da comunicação artística…‘” Toumani Kouyaté.

O propósito deste curso é promover o questionamento e a redescoberta do corpo como instrumento sensível da palavra e de toda a comunicação. O participante entrará em contato com técnicas simples e precisas que lhe servirão para desenvolver um corpo livre e que se mantém como motor da linguagem e da sensação. A proposta é rever, desenvolver e gerir suas propostas e suas emoções com uma nova relação com o corpo com o objetivo de melhorar o trabalho de controle e concentração mental e emocional para uma maior liberdade e criatividade cênica.

Programa

1º Dia
Acolhida e conhecimento do grupo

Partir do Nada – Um tempo inicial de concentração para “esvaziar” o espírito e o corpo, a “limpeza”. Trabalho de criação a partir de uma filosofia e de uma estrutura corporal comparada a um tecido ou a uma tela ou folha em branco de um pintor ou de um autor. Partir de uma base neutra a ser preenchida. Purificar as atitudes (espirituais e corporais) para permitir uma tomada de consciência da construção de cada proposta sensível, por menor que seja. Consciência de toda sensação corporal, mesmo pequenos estremecimentos, permitindo o isolamento, o desenvolvimento e, portanto, o início de propostas criativas.

2º Dia
Comunhão com o seu corpo

Redescoberta do corpo como o primeiro motor emocional e sensorial. Trabalho de leitura e interpretação do corpo por uma releitura de todas as suas possibilidades de articulações e músculos. Reviver os sentidos e as sensações que fazem a mecânica do corpo: Qual é a sensação de franzir a testa, sorrir ou arregalar os olhos? Agitar um punho traz raiva, ter as costas arqueadas é sinônimo de cansaço, exibir o peito de coragem, etc. Aprender a ver a linguagem gestual como língua falada: portadora de significados e sensibilidade. Como acontece com a linguagem verbal, quanto mais à linguagem corporal é articulada, mais ela será rica… Aprender a associar automática e sistematicamente proposições gestuais e verbais. Desenvolvimento de uma linguagem total: verbal e visual.

3º Dia
Máscaras – Imaginário e linguagem corporal

A consciência de máscaras faciais e corporais que permitem a leitura e análise das atitudes e assim das propostas criativas. Aprender a ler a imagem reenviada do mundo (público), corrigi-la e controlá-la. Maior confiança e maior liberdade diante do olhar dos outros. Visão do corpo como uma construção e uma proposta criativa feita para e diante do público. Quanto mais a composição é rica, detalhada e controlada, mais o ator é um outro, um personagem. Saber se libertar e seguir uma máscara corporal. Encarnar.

4º Dia
O Corpo

Memória sensorial e sensível. Alimentar as propostas gestuais com uma « alma » emocional. Saber recuperar as emoções guardadas e acumuladas ao longo da vida e as desenvolver. Ritmo e gradação das emoções a partir da respiração, que se alia instintivamente à emoção escolhida.

5º Dia
Ritmo e som do corpo

Aprender a combinar gestos e emoções de uma maneira precisa que deverá conter: um nascimento, uma vida e uma morte (começo, desenvolvimento, fim). Saber escolher, mudar e controlar rápida e instintivamente as propostas emocionais criadas. Desenvolver uma variedade de propostas emocionais e gestuais, para evitar um jogo mono-expressivo e criar um jogo variado, rítmico e sempre em movimento (espacial ou interno).

Sobre Toumany
Artista completo, como todos da casta dos djélis, ele canta, dança, toca, conta histórias e é também fotógrafo, professor universitário e organizador de festivais em vários lugares da África, Canadá, Ásia e Europa, entre outros. Vivendo na França, seu trabalho dialoga com o mundo ocidental produzindo uma experiência única de sabedoria e beleza. Em 2007 recebeu o prêmio AnselmeChiasson (Canadá), em 2004, o prêmio HIBOU D’OR(Ottawa/Canadá), foi finalista, em 2002, do grande prêmio de contadores Maison du conte de Chevilly-Larue e em 1988, o prêmio de « mensageiro da paz » da Unesco.Saiba mais

Serviço
De 14 a 18 de outubro
Horários:
Segunda a sexta, das 19h30 às 22h30
Inscrições: até 14 de outubro
b_arco
Rua Doutor Virgilio de Carvalho Pinto, 426 | Pinheiros | CEP 05415-202 | São Paulo | SP
Informações. 11 3081.6986
www.barco.art.br