Colunista

Latin Lab

Por: Latin Lab

maguare - feira do livro

Divulgação

Desde o primeiro semestre de 2013, o Ministério da Cultura da Colômbia, no marco da Estratégia Nacional de Atenção Integral à Primeira Infância “De cero a siempre” (“De zero a sempre”), pôs em marcha a formulação de um projeto de divulgação e circulação dos conteúdos culturais e artísticos dirigidos à primeira infância.

Em convênio com o Centro Ático da Pontificia Universidad Javeriana, lançou-se em 2013 a Estratégia de Comunicação Digital e Primeira Infância com o objetivo de garantir o livre acesso a ditos conteúdos e de gerar um espaço de interação e consulta para os atores envolvidos em torno aos conteúdos culturais infantis (famílias, agentes educativos, criadores e entidades públicas e privadas). Criaram-se dois portais na internet que respondem a esse objetivo: “Maguaré, descubre, imagina y crea” (“Maguaré, descubra, imagine e crie”) e “Magua-red, creadores y mediadores de contenidos culturales para la infancia en red” (“Magua-red, criadores e mediadores de conteúdos culturais para a infância em rede”).

Iniciado o convênio em agosto, se encontrou uma equipe de coordenação (liderada por Camilo Arango e Maribel Salazar, com Juan Carlos Cubillos como engenheiro e Mauricio Patiño como comunicador). O processo foi vertiginoso, pois o desafio era lançar a Estratégia antes de finalizar o ano. O primeiro que se fez foi o inventário dos conteúdos dos quais se possuía autorização para publicação na internet. Vimos que muito poucos produtos tinham permissão de publicação, e assim foi necessário adquirir esses direitos para as canções e criar uns aplicativos com a modalidade de coprodução com diferentes criadores do país. Esses aplicativos buscavam fazer com que as crianças participassem de um modo mais ativo no portal, criando histórias, construindo músicas e pintando.
Então veio o planejamento da arquitetura da informação e da criação do universo narrativo que conteria as obras. Apareceu então Saimiri, o macaco prego que acompanharia o recorrido. Também apareceu o Maguaré, instrumento musical dos indígenas Uitoto que dá nome à estratégia.

14125770535_868aa225ae_z

Maribel Salazar, coordenadora de estratégia do Portal Maguaré, menção honrosa na rodada de projetos do comKids inovação 2014. Foto: Danila Bustamente/comKids

Foi ali que se deu com clareza a ideia de que o espaço das crianças deveria ser respeitado, de modo que toda a informação para os adultos deveria ir em uma página web aparte, na qual seria possível incluir as interações necessárias entre eles, assim nasceram Maguaré e Magua-Red, respectivamente. Também vimos que a navegação não podia responder a menus fixos e a rotas lineares, o site deveria permitir que a criança explorasse, que elegesse caminhos variados para navegar. Ao ser definida a alma do projeto, entrou em pauta o papel de protagonismo do Centro Ático, nas mãos de cujos profissionais tomou corpo gráfica e tecnologicamente esse mundo digital e complexo que é hoje o Maguaré. O sentimento principal que nos acompanhou nesse processo inicial foi o da esperança de poder chegar às crianças da Colômbia e contribuir para a sua felicidade através das músicas, dos contos, das séries e de todos os jogos alojados em Maguaré.

Ainda que a pressão pelo tempo estivesse sempre presente, uma frase posta na parede do escritório marcou o norte, dia-a-dia: “Que as crianças sejam felizes e cresçam acompanhadas”. Este “meta-objetivo” determinou o detalhe de cada passo a ser dado, tanto desde as generalidades estratégicas, como desde cada detalhe tecnológico.

O lançamento de Maguaré realizou-se na segunda-feira 16 de dezembro de 2013, e podemos contar o momento como um “parto” oficial. A cobertura em meios e redes sociais, e o posicionamento on-line fizeram com que o portal se difundisse rapidamente e começasse a chegar aos lares, e também a ser usado em bibliotecas e em escolas da Colômbia. O sentimento comum foi de felicidade por ter conseguido algo que parecia impossível em tão pouco tempo, superando as expectativas. Após os primeiros seis meses de vida da estratégia e de um árduo trabalho de socialização por todo o país, uns frutos mais apetitosos começaram a nascer: os visitantes de Maguaré desenvolveram um vínculo muito forte com Saimiri (o macaco anfitrião do portal) e os conteúdos oferecidos, e os membros de MaguaRed começaram a reconhecer-se e a interagir entre si. A estratégia está alcançando os seus objetivos.

Algo determinante na concepção da Estratégia foi sintonizar a atitude e o espaço de trabalho com um espírito infantil. O jogo, a curiosidade e a alegria foram requisitos diários ao atravessar a porta. A seleção da equipe de trabalho também foi vital: somos complementares, diversos mas relacionados. Além disso, quando convocamos alguém para produzir novos conteúdos e/ ou aplicativos os convidamos a se sintonizarem com o espírito infantil e a desfrutar o processo para garantir assim produções “com alma”.

O empoderamento foi uma chave em um processo tão vertiginoso; dar-lhe a cada membro da equipe a confiança para desenvolver a sua função, reconhecendo suas habilidades, possibilitou fluir de modo adequado para cumprir com a meta de também obter resultados muito mais ambiciosos do que estava previsto. Também foi importante investigar sobre as estratégias e portais que estavam fazendo algo parecido ao que queríamos fazer, pois assim pudemos aprender quais eram as tendências, quais modelos não nos interessava replicar e que elementos valiosos podíamos incluir em nossa proposta.

Escutar e ter em conta as opiniões das crianças é também importante, pois nas diferentes etapas do processo consultamos diferentes meninos e meninas sobre nossos avanços: o personagem, o nome, os conteúdos. Colaborar, mediar e conectar aos criadores de conteúdo, aos especialistas e aos diferentes públicos que rodeiam a estratégia. Maguaré está sempre se renovando, melhorando, gestando novas ideias. Agora estamos iniciando uma produção de conteúdo em diversas línguas de grupos étnicos da Colômbia; além disso, estamos fortalecendo a estratégia de comunicação com diferentes públicos para que se apropriem dos conteúdos existentes e participem mais ativamente na geração de novos conteúdos culturais feitos para e com as crianças. Nos chama muito a atenção compartilhar as experiência e conquistas obtidas nesse processo com outros países da América Latina que também estão pensando em desenvolver estratégias de comunicação e cultura enfocadas no acompanhamento à primeira infância.

Equipe Maguaré

Visite-nos em:

http://www.maguare.gov.co

http://www.maguared.gov.co

@maguared

http://www.facebook.com/MaguaRed

Compartilhe:

   
Latin Lab
Latin Lab

LATINLAB é um laboratório de investigação, criação e reflexão em torno da televisão infantil e das multiplataformas na América Latina.