Novidades

Por: comKids (Redator)

A série de animação brasileira O Diário de Mika, produzida pela Supertoons, mira outros produtos e suportes além da TV e tem um canal de youtube já com mais de 100 mil inscritos. O Diário de Mika, veiculado na Disney Junior, conta a história de Mikaela, uma menina de 4 anos, e seus amigos brinquedos. O produtor Transmídia, Renato Leandro, e a criadora e diretora da série, Elizabeth Mendes, falaram ao comKids sobre o processo de criação para o público pré-escolar e o licenciamento do programa em outros países.

Promo Mika_2_01057

O Diário de Mika, divulgação.

- Mika é uma personagem já integrada no mundo digital, com tablet à mão. Em tempos de telas múltiplas no cotidiano de muitas infâncias, o programa de TV já foi criado com essa atenção para ser um produto transmídia? Já tem aplicativo, livro de atividades…

Renato Leandro – produtor Transmídia - O Diário de Mika foi criado como um produto transmídia, tanto é que o tratamos como uma franquia e não apenas como uma série de TV. É evidente que o carro chefe da marca, por enquanto, é a série, porém o projeto tem como objetivo expandir a narrativa para além das telas, não somente replicando o mesmo conteúdo em outros suportes ou plataformas mas explorando todo o universo de forma com que cada produto seja incrível por si só.

- Diário de Mika é uma série pré-escolar. Poderia falar sobre escolhas estéticas, do personagem ou de roteiros que foram feitas especialmente como diferencial para esse perfil de público?

Elizabeth Mendes – criadora e diretora - Tivemos muito cuidado em definir os padrões estéticos da série, os quais condizem com o público pré-escolar e também com o tipo de narrativa que escolhemos. A própria protagonista tem um visual bem infantil: dentinho quebrado, “chiquinhas” desalinhadas e jardineira confortável para brincar. O estilo de desenho “palitinho”, que aparece quando Mika desenha em seu tablet, a fim de tornar as informações recebidas mais concretas, foi escolhido por ser o modo como a criança, nessa fase, costuma fazer. Sendo assim utilizamos traços simples, cores alegres e pintura fora de registro. Tudo isso, além da música que reforça o conteúdo abordado em cada um dos episódios, foi pensado para que a criança se reconheça no universo da série, crie empatia e perceba que a Mika é uma criança igual a ela, pronta para descobrir o mundo ao seu redor.

- A animação é veiculada na Disney Junior em toda a América Latina e também já foi licenciada para países da África, Europa e Ásia. Poderia contar mais do percurso do programa no exterior? Se, por exemplo, foram necessárias adaptações de conteúdo para outros países?

Renato Leandro – Produtor Transmídia – A série de animação já foi concebida com o intuito de ser um produto universal. Tanto uma criança brasileira quanto uma japonesa pode se questionar sobre a origem do leite, as fases da lua ou até mesmo sobre o ciúmes que ela tem do irmão mais novo, isso é incrível de se pensar! Existe uma confluência, em grande parte das culturas, em relação ao desenvolvimento cognitivo das crianças. Aproveitamos esta vantagem que existe e desenvolvemos o conteúdo com muito cuidado para que ele possa fazer sentido em diferentes culturas. Isso facilitou muito a aceitação da série nos quatro cantos do mundo e praticamente anulou as necessidades de adaptação do conteúdo para um ou outro país.