Novidades

Por: comKids (Redator)

PEDRO E BIANCA_CASA-p

Foto: divulgação

O Emmy Awards, premiação de amplo reconhecimento na avaliação de programas televisivos, anunciou a seleção da série Pedro & Bianca, produzida pela TV Cultura de São Paulo. A categoria na que competirá é a Emmy Kids Awards 2013, conjuntamente com outras duas produções, uma dinamarquesa e outra da Irlanda. A decisão será anunciada no dia 10 de fevereiro de 2014.

Pedro & Bianca aborda questões da juventude por meio de dois irmãos que estudam em uma escola pública da periferia paulistana e está focada em duas frentes: adolescência e educação pública. Durante sua produção, a série se fundamentou em pesquisas feitas em diversas etapas, do roteiro à gravação, da preparação do elenco à dramaturgia virtual.

Na ficção, dois irmãos gêmeos (ele branco e ela negra), vivem as aventuras desta complexa fase da vida. Sabemos que durante a adolescência o jovem tem inúmeras expectativas e acaba passando por frustrações. Isso ocorre em relação ao desempenho na escola, ao acolhimento entre os colegas, à liberdade, ao trabalho, à inserção no mundo adulto, aos relacionamentos amorosos, ao sexo,… Não à toa é nesta idade que os ímpetos contestadores aparecem. Os descompassos entre a vontade dos jovens e as possibilidades que a sociedade oferece são enormes. Somam-se a isso as questões da contemporaneidade, como a fragilidade dos vínculos, a instável instituição familiar, o cyber bullying e o novo status dos gêneros: jovens assumindo, experimentando e descobrindo sua sexualidade.
Um dos grandes desafios da série, explicam os produtores, foi levar às telas os temas da adolescência tomando por referência a juventude de hoje e não a da época dos criadores, roteiristas, diretores, consultores etc.

Um dos primeiros passos para se atingir isso foi promover uma conversa entre os criadores da série, roteiristas e um grupo de ex-alunos da rede pública que estiveram no Ensino Médio recentemente. O grupo era composto por pessoas com perfis sociais diferentes, que aceitaram contar suas histórias ao diretor (Cao Hamburger) e sua equipe. Trouxeram relatos divertidos, brincadeiras, trotes, relação com professores, grupos de amigos, “ficadas” e namoros, rivalidades, colas, aulas cabuladas, passagens secretas da escola, a influência da família, casos de bullying…

PEDRO E BIANCA_ESCOLA-p

foto: Jair Magri

A equipe de roteiristas visitou diversas escolas, conversando com alunos, diretores e professores e identificando o papel de outros agentes escolares. Desse modo, Pedro & Bianca pôde “se colar” na realidade. Ao longo da série, enquanto a equipe de roteiristas procurava criar uma dramaturgia interessante, uma história divertida e consistente, os membros da equipe de Projetos Educacionais da Fundação Padre Anchieta procuravam manter a série sempre alinhada com a realidade da rede pública estadual.

Muitas vezes são pequenos detalhes que fazem a diferença, por exemplo, qual o conteúdo de Sociologia ou História previsto para o início do primeiro ano do Ensino Médio? Porque quando alunos da rede pública assistem à série, percebem que aquilo que o Pedro, a Bianca e seus amigos estudam, eles também estão estudando. E, muitas vezes, o assunto que está na sala de aula se desdobra na vida dos protagonistas.

Depois de uma grande pesquisa, a E.E. Alberto Torres foi selecionada como locação das gravações. É uma escola grande, com excelentes condições para a produção do programa. Conforme relatado anteriormente, a própria locação se constituiu como laboratório de pesquisa, pois a equipe de produção estava em constante diálogo com a direção da escola, o que permitiu que as gravações ocorressem também, durante o horário de aula.

pedro e bianca-p

foto: Jair Magri

Foram gravados 46 episódios de ficção e cinco episódios temáticos. Os últimos foram criados da seguinte forma: um tema era destacado – preconceito, por exemplo – e a partir dele eram selecionados trechos de episódios que abordavam o tema (ao longo da série, um mesmo tema aparece em diversos episódios). Neles, o Pedro e a Bianca, no momento como Giovanni Gallo e Heslaine Vieira, aparecem como mediadores de conversas com os alunos da rede pública.

A seleção das Instituições de Ensino para os programas temáticos foi feita a partir de indicação da Secretaria de Estado da Educação. Muitas delas eram Escolas de Ensino Médio de Tempo Integral. O processo de seleção foi interessante: a equipe pedagógica da série foi às escolas, conversou com alunos interessados em participar do programa e debateu alguns temas com eles, que variavam de violência doméstica a políticas públicas.
Os episódios temáticos permitem um loop, a fala dos alunos nos incita a rever a série, a olhar para aquele jovem novamente e nos perguntar como estamos nos relacionando com os jovens de hoje.

A série está nas plataformas digitais mais acessadas pelos jovens. Há um canal no YouTube com todos os episódios exibidos e uma página no Facebook. Tanto Pedro quanto Bianca interagem com os internautas via blog, Twitter e Facebook.

As pesquisas de linguagem e intencionalidade foi realizada em blogs de skatistas, grafiteiros, garotos e garotas do Ensino Médio. Por fim, cada personagem ganhou um perfil nas redes sociais e deram continuidade aos episódios em ambiente virtual. Por um lado, temos o Pedro, tentando se mostrar como um cara seguro de si, descolado e cheio de atitude, por outro, temos Bianca, sensível e cheia de papos-cabeça em suas postagens. Outras personagens ganharam um perfil nas redes para apoiar os protagonistas e tornar mais dinâmica a segunda vida da série.

Pedro e Bianca ganhou o primeiro lugar na premiação do comKids – Prix Jeunesse Iberoamericano 2013, na categoria 12 a 15 ficção.